Blogueiros e Influencers sem registro, cometem crimes ao prescrever orientações de treinos

Em um cenário em que as novas tecnologias são incorporadas rapidamente no cotidiano social, e, ao analisarmos as modificações sofridas na maneira pela qual se faz publicidade, é possível perceber as grandes mudanças sociais provocadas pela internet. Um fator importantíssimo ganha destaque nesse contexto, dado o extremo poder de convencimento e influência sobre os consumidores, os chamados influencers digitais.

É preciso entender, que este agente social, tem um impacto persuasivo nos padrões comportamentais dos consumidores, e, quando na forma de indicação de produtos e serviços nas plataformas online, tem uma responsabilidade civil com relação ao mesmo, e mais do que isso, quando se apresentam como profissionais habilitados para tal, sem ter registros e/ou diploma, estão cometendo um crime, por exercerem ilegalmente a profissão.

Para falar sobre os riscos para o corpo humano e as graves consequências de utilizar as mídias sociais, para prescrição, orientação de treinos e receitas milagrosas de resultados, convidamos Leandro Lodo para falar com propriedade sobre o assunto.

A regulamentação da profissão de Educação Física é relativamente recente, com registro em 1º de Setembro de 1998. Embora a necessidade de realizar atividades físicas se dê desde o momento em que levantamos da cama, a prática sistemática pode aprimorar nossa saúde e qualidade de vida, prevenir diversas doenças como hipertensão, doenças cardíacas e diabetes tipo II, além de aumentar nossa expectativa de vida.

Ainda que todos nós possamos falar sobre atividade física e exercícios, somente o profissional habilitado pode prescrever, do mesmo jeito que só um médico pode prescrever medicamentos ou um nutricionista as dietas. Qualquer prescrição sem o registro do profissional em seu respectivo conselho regional de Educação Física (CREF) é crime. Se comprovado o exercício ilegal da profissão, este é passível de punição – prisão de até 3 meses ou multa.

Em meio a essa pandemia de Covid-19, a necessidade de treinar em casa aumentou a quantidade de influenciadores digitais compartilhando dicas de exercícios e até mesmo prescrições de treinos, muitas vezes mascarado pelo “esse é meu estilo de vida”. Caro leitor, digo a você que o estilo de vida dessas pessoas não é idêntico ao seu e o que pode ser muito bom a ele, pode ser muito ruim para você! Todos nós somos diferentes e únicos, isso é conhecido como individualidade biológica. Ainda que fossemos irmãos gêmeos, você pode estar em um nível de treinamento mais avançado que o meu e, ao tentar te acompanhar em um só treino, posso por exemplo me lesionar.

A atividade física é um potente remédio, mas pode ser um veneno na dose errada, como quase tudo na vida. A dose certa? Só saberia por onde começar se eu ao menos soubesse se você possui alguma doença ou histórico na família, restrição, objetivo, tempo de treinamento, peso, altura, idade, experiências anteriores com a prática de exercícios e por aí vamos. Acredito que seu influencer que “prescreve exercícios” não fez nenhuma dessas perguntas a você, ou fez? Se a resposta for não, procure um profissional da área, essa é a dica de um habilitado!

Leandro Lodo é mestre pela Escola de Educação Física e Esporte da USP

Quer saber mais sobre sobre atividade física? Acesse ao Instagram @lodo.leandro

Deixe um comentário

Blogueiros e Influencers sem registro, cometem crimes ao prescrever orientações de treinos
Leandro Lodo, mestre pela Escola de Educação Física e Esporte da USP